Início / Notícias / Chico Xavier / E eis que Irmã Aíla vem e ora!

E eis que Irmã Aíla vem e ora!

Rádio Espaço Espírita

Não estive presente, mas espiritualmente, vibrei em sintonia com o Encontro dos Amigos de Chico Xavier promovido recentemente em Torres, no RS – “um encontro espírita, numa faculdade luterana, com a palestra de uma madre superiora católica”, nos dizeres do biógrafo e amigo de Chico Jhon Harley Madureira Marques, já celebrando os feitos de um importante evento espírita – inteiramente gratuito e marcado pela simplicidade, como gostava e gosta o nosso Chico Xavier. “Um evento do século 21”, nas palavras do mesmo Jhon Harley.

Eis que, dias depois do encerramento, recebo nos grupos de Whatsapp e também vejo postado na rede social Facebook uma tocante prece em honra a Chico. Uma prece de Irmã Aíla Pinheiro. A mesma Irmã Aíla que, emotiva e do alto do seu conhecimento bíblico, tem se mostrado personalidade cativante, a participar dos eventos espíritas, a reverenciar Chico Xavier. Digo cativante, pelos vídeos que já pude acompanhar embora eu não a conheça. Não fisicamente, pelo menos.

Um misto de religiosidade, coragem e admiração, por certo, tocou o coração dessa nobre irmã católica, apostólica romana, que sequer conheceu o médium mineiro. Parafraseando a mim mesmo, “não fisicamente, pelo menos”.

E então, baixo o áudio da prece de irmã Aíla. Só então entendi porque Geraldinho Lemos Neto – biógrafo de Chico, assim como Jhon Harley – se enchem de alegria ao anunciar que a religiosa prestigia os eventos espíritas devidamente trajada como religiosa católica que é, honrando a vocação e os votos de renúncia feitos diante da querida Igreja Romana…

Mas ela não vai a esses eventos de maneira provocativa; não ostenta os trajes católicos para “se mostrar”, como quem diz “olha, sou católica e estou aqui na Doutrina Espírita, tenho coragem”. Não. Irmã Aíla veste seu hábito porque faz entender seu profundo respeito por Chico. Na visão dela, aquele humilde mineiro; aquele homem que tantos corações aflitos consolou, era e é, numa leitura católica, apostólica e romana, um santo. “E diante de eventos consagrados aos santos, eventos oficiais da Igreja, nós religiosos, temos de estar com nossa vestimenta adequada”!

Ora, observem o carinho, a reverência, o amor de Irmã Aíla por Chico Xavier! Num período difícil do Brasil e mesmo diante de ações questionáveis no movimento espírita, essa religiosa de fibra demonstra mais respeito por Chico que muitos espíritas!

E ainda por cima, ora…

Ora com o coração… com a alma!

Ora com terminologia católica… pede a Chico para “rogar por nós”; roga que possamos estar um dia, com Chico, “diante da Glória do Cristo”; abençoa o nosso querido médium! E pede que Jesus e Maria Santíssima, “os grandes amores da vida de Chico”, igualmente o abençoem! Pede a Chico a intercessão, “num momento de travessia”, e que ele ore e cuide de todos, e, diz Aíla, que aprendamos com Chico, a seguir o Cristo!

A prece de Irmã Aíla é mais do que um “tapa de luvas” no movimento espírita, tão cheio de pseudo-intelectualismos, pseudo-lideranças, radicalismos, regras e burocracias internas. É sinal de humildade; a mesma humildade que temos visto com o Papa Francisco, nos seus esforços do diálogo inter-religioso; a mesma humildade que vemos no bispo evangélico Hermes Fernandes, do RJ, aquele líder religioso notável, que chamou diante do seu altar a mãe de santo e sua neta, a menina do Candomblé apedrejada por fanáticos religiosos. E elas foram ao altar do bispo, em suas vestes ritualísticas. E Hermes abraçou-as, acolheu-as, orou com elas… e lavou os pés delas…

Qual espírita fez isso? Qual espírita tem levantado sua voz recentemente diante dos cada vez mais frequentes ataques aos humildes terreiros, espaços de culto dos nossos irmãos de religiões de matriz africana? Qual espírita ousou levantar voz, nos últimos tempos, em defesa das minorias, dos pobres, dos esquecidos? Bem, Chico o fez…

E eis que Irmã Aíla não apenas vem e ora, sentidamente… mas denomina o Chico, o nosso Chico, de “São Francisco Cândido Xavier”. Ela vê em Chico, um santo! Temos que respeitar a sua fraterna e transcendente visão. E fico a pensar… quantos de nós, espíritas, temos orado a Chico e para Chico; agradecido por seu cultivo ser tão profícuo nessa Pátria do Evangelho… quantos?

E muitos pseudo-intelectuais por certo, testa franzida, estão aos cantos, a dizer:

“- Olhaí, mais um espírita católico mostrando seu atavismo!”

“- Também, num encontro destinado a idolatrar Chico, esperar o quê?!”

“- Evidente que iriam chamar uma freira, pois ainda não se desvencilharam dos laços com a Igreja de Roma!…”

‘- São um bando de igrejeiros esses ‘Amigos do Chico’”…

Ao nos confrontar com essas expressões à boca miúda de certos confrades, lembro-me da orientação carinhosa de dona Juselma Coelho, outra tarefeira abnegada do movimento espírita lá das Gerais, igualmente amiga do Chico: “diante dessas situações, irmão, silencia e trabalha”.

Pré-julgamentos como esses vêm de pessoas que, por certo, não conhecem nem nunca estiveram num encontro de Amigos do Chico – evento que há 10 anos, em vários pontos do País, e agora em suas edições regionais, nunca se dispôs a idolatrar ou divinizar a figura do médium, mas sim, a fazer a justa homenagem pelo singelo líder que o foi sem nunca querer ter sido; a lembrança e o reconhecimento necessário às suas mais de 500 obras, a seus 75 anos de vida pública; sua doação e renúncia integrais; dedicação e vida que renderam, outorgado pelas mãos simples do povo do brasileiro, o título de “Maior Brasileiro de Todos os Tempos”.

E então surge Irmã Aíla. Com seu hábito; com sua simplicidade; com sua terminologia abertamente católica, a orar a “São Chico”, e fazer-nos então entender, que Chico, o qual, sob os auspícios do senhor Allan Kardec, Codificador da Doutrina Espírita para quem foi absolutamente fiel em seus 92 anos de vida, é tudo isso e muito mais. Ave, Chico! Que as vozes das diferentes tradições cristãs, mais e mais, se unam para te agradecer e reverenciar! Obrigado, Irmã Aíla!

Juvan de Souza Neto
Tarefeiro da Comunhão Espírita Elo de Amor
Barra Velha, litoral norte de Santa Catarina.

 

Posted by Juvan Souza Neto on Sunday, November 5, 2017

Rádio Espaço espírita

Sobre Dorival Strelow

Veja Também

O retrato de Maria ditado por Emmanuel

Tomamos conhecimento de um novo quadro de Maria, a Mãe de Jesus, divulgado num programa …